quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Tenho heterofobia mesmo

E eis que de repente, o célebre e digníssimo deputado que coloca carros em nome de Jesus e jura por tudo que é mais sagrado (para ele, claro) que não tem conta na Suíça, Eduardo Cunha, dá o ar da graça mais uma vez com sua capacidade cada vez menor de entender o que não é do seu interesse elitista conservador cristão que preserva famílias e altas somas de dinheiro vindo de corrupção. É que assim, como quem não quer nada, um projeto de autoria dele quer criminalizar a "heterofobia" passou pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara ontem. Gente?! Já não bastava aquele papo de que a mulher vítima de estupro vai ter que provar que o sofreu para conseguir o mínimo de atendimento que ela tem direito?

Mas então. Heterofobia? O que seria isso? Em uma pesquisa rápida de dicionário a gente percebe que o sufixo "-fobia" significa duas coisas: 1 - medo exagerado, e 2 - falta de tolerância, aversão. Sobre o segundo item, falta de tolerância e aversão, é sério que faz sentido haver falta de tolerância e aversão a pessoas heterossexuais, numa sociedade onde ninguém morreu ou sofreu agressão, seja da forma que for, simplesmente por ser uma pessoa hétero? Bom, não faz. Então eu tenho certeza que esse projeto para criminalizar a heterofobia na verdade é um projeto para liberar geral duas coisas que fazem muito sentido e todos os dias fazem vítimas no país: a homofobia e a transfobia.

Mas agora vamos falar do primeiro item. O do medo. Se for levá-lo em consideração, sim, eu tenho heterofobia. Sou muito heterofóbico. Pois quando eu vejo um hétero, e no caso homem cisgênero hétero, sim, eu tenho medo. Tenho medo de ser agredido, de ser assassinado, de sofrer agressões verbais simplesmente por eu não ser tão hétero quanto ele. Eu tenho medo de tentar ser "convertido", "curado" ou simplesmente de ser abusado. 

Eu tenho medo de ser subestimado, de ser colocado à margem do convívio dele e das outras pessoas simplesmente porque todo mundo o ensina que pessoas como eu, e como tantas outras que não se enquadram nessa categoria homem-hétero-cis-branco-cristão merecem o nível mais baixo de toda a sociedade, e pessoas como o deputado e sua bancada querem dar segurança para o homem hétero pensar nisso. Eu sou heterofóbico, mas não por ser "intolerante", pois, ainda bem, ainda existem pessoas heterossexuais que não pensam dessa maneira. Tenho heterofobia sim, mas a fobia do medo, que infelizmente, essa mesma sociedade me faz sentir.

Mas a heterofobia segundo a interpretação da galera do Dudu das contas na Suíça, bom, não, isso não existe. Não mesmo, de jeito nenhum. Apenas parem. Beijos de luz. 

Cadê? Não achei. 

quarta-feira, 23 de setembro de 2015